Conheça a evolução da dança através da história

Entenda sua origem, seu contexto histórico e sua evolução ao longo do tempo

A dança é uma arte realizada através da movimentação do corpo, na qual o bailarino se expressa e demonstra valores de sua cultura, a dança também pode ser um meio de entretenimento, interação social e atividade física para manter uma vida saudável. O Dia Internacional da Dança é comemorado no dia 29 de abril e vamos aproveitar a data para contar a história de uma das manifestações artísticas mais conhecidas.

Os primeiros passos de dança surgiram na pré-história devido à necessidade de comunicação entre os homens das cavernas. A dança primitiva também foi usada para rituais e oferendas durante o Período Neolítico, como colheitas, preparação para guerras e ritual de passagem para a vida adulta.

Durante a Antiguidade, as civilizações antigas, como as gregas, egípcias ou mesopotâmicas, acreditavam que a dança tinha um caráter sagrado e era utilizada para celebrar, cultuar e honrar os deuses de cada cultura, formando assim as danças milenares.

Na Idade Média, a expansão do cristianismo pela Europa fez com que a dança perdesse seu caráter sagrado, chegando a ser proibida como resultado do dualismo cristão. As danças que sobreviveram naquele momento, como a tarantela italiana, são oriundas do desespero da população e das difíceis condições de vida que se tornaram apenas uma forma de festejar durante as celebrações.

Entenda sua origem, seu contexto histórico e sua evolução ao longo do tempo

A dança é uma arte realizada através da movimentação do corpo, na qual o bailarino se expressa e demonstra valores de sua cultura, a dança também pode ser um meio de entretenimento, interação social e atividade física para manter uma vida saudável. O Dia Internacional da Dança é comemorado no dia 29 de abril e vamos aproveitar a data para contar a história de uma das manifestações artísticas mais conhecidas.

Os primeiros passos de dança surgiram na pré-história devido à necessidade de comunicação entre os homens das cavernas. A dança primitiva também foi usada para rituais e oferendas durante o Período Neolítico, como colheitas, preparação para guerras e ritual de passagem para a vida adulta.

Durante a Antiguidade, as civilizações antigas, como as gregas, egípcias ou mesopotâmicas, acreditavam que a dança tinha um caráter sagrado e era utilizada para celebrar, cultuar e honrar os deuses de cada cultura, formando assim as danças milenares.

Na Idade Média, a expansão do cristianismo pela Europa fez com que a dança perdesse seu caráter sagrado, chegando a ser proibida como resultado do dualismo cristão. As danças que sobreviveram naquele momento, como a tarantela italiana, são oriundas do desespero da população e das difíceis condições de vida que se tornaram apenas uma forma de festejar durante as celebrações.

Entre os séculos XVI e XVII, no período renascentista, a dança começa a ser reconhecida como arte e passa a ter os profissionais que estudam para entender melhor esta manifestação artística. Foi nesta época que surgiu o ballet que, antes de chegar na França e se tornar uma arte praticada pela corte, começou na Itália sendo nomeado como “balleto”.

Os primeiros ballets com coreografias, figurinos e histórias contadas com início, meio e fim se desenvolveram após o incentivo na corte do rei Luís XIV, que recebeu o apelido de “Rei-Sol” após uma apresentação no Ballet de La Nuit, em que vestia uma roupa chamativa e brilhante representando o sol. Enquanto isso, no final do século XVIII, na Áustria e no Império Alemão, surge a valsa que é dançada até hoje nos bailes de debutantes e casamentos, por exemplo.

Logo depois, começa a dança no Romantismo que transforma o ballet numa das expressões artísticas mais utilizadas da época, além de trocar os salões pelos grandes palcos para realizar as apresentações, que conhecemos como os ballets de repertório. Já no século XIX, no Brasil, surge o samba, enquanto na Argentina e no Uruguai, o tango é a grande novidade.

A partir do século XX, começamos a ver novos estilos de dança que marcaram gerações e estão presentes até hoje, como: o street dance, zumba, o sapateado, salsa, as danças contemporâneas e muito mais. Esses novos estilos representam a cultura na qual surgiram, como o flamenco que se tornou um símbolo da Espanha, por outro lado, há danças que nasceram através da combinação de povos e culturas, tendo como exemplo, o próprio samba que nasceu no Brasil por meio dos africanos.

Para celebrar toda essa história, em 1982, o Comitê Internacional da Dança (CID), da UNESCO, determinou o dia 29 de abril como o Dia Internacional da Dança em homenagem à data de nascimento de Jean-Georges Noverre, bailarino que se destacou na história da dança por ter escrito o “Letters sur la Danse”, conjunto de cartas sobre o ballet do século XVIII.

Aqui na Petite comemoramos o Dia da Dança diariamente ao longo das aulas, dos ensinamentos, das trocas de experiência e das apresentações. Venha celebrar conosco! Clique aqui para conferir nossa grade de horários e agende uma aula experimental em uma de nossas unidades diretamente pelo whatsapp:

Itanhangá – (21) 99696-3921

Metropolitano – (21) 998020-574

Tijuca – (21) 99679-4923

Vogue Square – (21) 98281-0617

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale com a gente
Enviar via whatsapp