fbpx

O que fazer para se manter motivada nas aulas de ballet

Hoje vamos falar sobre como se manter motivada nas aulas de ballet. Estamos no início do ano, fazemos ballet o ano todo e em muitos dias a motivação para fazer as aulas não está lá muito grande.

Eu estou lendo o livro da Misty Copeland, “Ballerina Body”. Para quem não a conhece, a Misty entrou no ballet relativamente tarde, aos 13 anos, e hoje é a primeira-bailarina do ABT. No seu livro ela dá várias dicas para se manter motivada.

Essas pequenas dicas podem servir tanto para o ballet, quanto para a vida. Então, vamos lá falar sobre isso. Eu vou compartilhar algumas dessas dicas com vocês junto com algumas minhas de acordo com as minhas vivências.

1.Tenha um objetivo final em vista

Qual o seu objetivo final dentro do ballet?

É ser a primeira-bailarina (ou primeiro-bailarino) de uma grande companhia? Qual companhia seria? O Royal Ballet? A Ópera de Paris?

É vencer um grande festival? Qual deles? Joinville? YAGP? Prix de Lausanne?

É ter um solo? Qual?

É dançar no final do ano?

É se apresentar para a sua família?

É ouvir um “você estava linda(o) dançando?”

Não importa qual seja ele, tenha ele em mente e siga em frente!!! Será esse objetivo que vai te manter forte e te lembrar de continuar seguindo seu caminho. Mas tem que ser algo que realmente significante para você, algo que você queira muito dentro de você; que seja muito mais do que um desejo, mas um sonho. Tem que ser algo que verdadeiramente preencha o seu coração naqueles dias em que somente o amor à dança não bastar! Só assim, nos dias em que a desmotivação ou a preguiça bater que você vai se erguer e continuar insistindo. Se não, na primeira desmotivaçãozinha, você vai ceder a ela.

No caso da Misty Copeland, ela queria dançar no ABT desde os treze anos de idade quando ela viu vídeos de Mikhail Baryshnikov e Gelsey Kirkland, se manteve forte nesse sonho e toda vez que algum músculo estirava ou toda vez que ela caía no chão tentando um novo salto ou nova pirueta, esse sonho dela de se tornar uma bailarina do ABT dava forças para ela continuar.

Pense bem em qual é o seu sonho, o seu objetivo final e o persiga até conseguir.  Objetivos são essenciais. Se você não tem clareza sobre o que deve ser feito, não pode descrever como chegar lá. E todos nós precisamos de uma faísca para nos manter energizados quando temos aqueles momentos inevitáveis ​​de nos sentir cansados ​​ou desencorajados. Uma forte base emocional pode mantê-lo revigorado, enquanto ter uma linha de chegada à vista, um alvo a ser visado pode ajudá-lo a endurecer a energia mental e o foco que você precisa para alcançá-lo.

2.Tenha um objetivo além de si mesmo

Uma vez definido seu objetivo final, trace também um objetivo além de você que também te ajudará a continuar insistindo no seu ballet!!! Pense bem: qual a sua missão nessa vida através da dança?

Lembre-se de que você vale a pena. Nenhum de seus esforços, nem um minuto do seu tempo, é desperdiçado enquanto você se esforça para se tornar a sua melhor versão, o mais vibrante de você. Mas às vezes, como irmãs, mães, companheiras, amigas, nos sentimos culpadas de tirar nossa atenção dos outros. Você nunca deve se sentir indigno de autoestimular, mas no caso de você se sentir assim, lembre-se desta verdade: quando alcançamos nossos próprios sonhos, carregamos os outros conosco.

A Misty sabia desde a primeira vez que tocou a barra na academia de San Pedro que o ballet era o que ela deveria fazer. Ela era uma criança ansiosa, mas quando ela dançou, sentiu uma explosão de confiança. Ela era uma garota tímida, insegura de sua própria voz, mas sentia que era capaz de se comunicar com o mundo através do ballet.

Sua subida na carreira foi rápida, de começar a dançar na idade relativamente tardia de treze anos, até se tornar um aprendiz na companhia da ABT logo em seguida. Aos dezenove anos, foi promovida para o corpo de baile da companhia principal. Ela tinha atingido uma meta atrás da outra.

Em um determinado momento, onde ela fazia parte do corpo de baile, começou a se sentir insegura sobre ser capaz de agarrar seu próximo objetivo – se tornando uma solista e, eventualmente, uma diretora. – Ela sofreu uma lesão logo quando começou a fazer parte do corpo de baile que a deixou de lado por um ano. Quando se recuperou e voltou a dançar, disseram-lhe que sua nova figura curvilínea não era mais a ideal. E às vezes se sentiu isolada e subestimada por causa da cor da sua pele.

Nesse momento, Misty pensou em deixar a ABT. Ofereceram para ela uma posição de solista no Dance Theatre of Harlem, uma companhia diversificada cheia de dançarinos talentosos, onde ela acreditava que o mais importante seria a sua capacidade e não a cor da sua pele.

Mas, por mais atraente que a idéia parecesse, ela sabia que nunca se sentiria totalmente realizada por essa decisão; o ABT sempre foi o seu sonho. Ela teria aberto mão dessa oportunidade. Ela queria ser bem sucedida na ABT, e percebeu que o seu sonho tinha a ver com muito mais pessoas do que ela.

Ter uma missão além de si mesmo pode, às vezes, dar-lhe o impulso necessário para manter-se firme e continuar avançando em direção ao seu objetivo. Na vida da Misty, a crença de que ela não estava dançando só para ela mesma, mas para todas as bailarinas negras que vieram antes dela e não conseguiram as oportunidades que sua arte merecia, a convenceu a ficar na ABT e continuar se esforçando. Quando a sua confiança esmoreceu, pensou nas crianças que ela queria encorajar, garotas e garotos com experiências como as dela, que talvez nunca tivessem imaginado uma carreira na dança clássica por causa de sua etnia ou origem socioeconômica, e ela ficou determinada a mostrar a eles o que era possível.

3.Visualize-se alcançando seu objetivo – evite pensamentos negativos

Uma outra técnica que a bailarina americana usa e nos ensina para nos manter motivados é também a visualização.

Cada ação que tomamos começa com uma ideia. Você pode querer um físico mais poderoso para lhe dar energia para ajudar os outros, ou mais vigor em sua mente, espírito e corpo para impulsioná-lo a alcançar ainda mais seus sonhos. Quaisquer que sejam suas motivações, depois de concebê-las em sua mente, diga-as em voz alta para seus amigos, seus entes queridos ou simplesmente para si mesmo. Toque as palavras no seu smartphone, ou escreva-as em um pedaço de papel e cole no espelho do banheiro.

Agora, sabendo o que você quer e o porquê, precisa ter fé que com tempo e determinação, pode alcançá-lo.. Imagine os resultados. Visualize o resultado. Imagine que você ganhou – mesmo antes de se envolver em seu primeiro treino.

Parece algo muito estranho e até meio sem sentido, mas na verdade, tem sim a sua razão de ser! Se você é daqueles(as) que o professor mal passa um passo novo ou difícil e você já pensa ou diz coisas como: “eu não consigo, eu sou ruim, eu nunca vou conseguir fazer isso”, acredite, a sua mente e o seu corpo vão encarar isso como uma verdade absoluta e você não vai conseguir mesmo fazer o passo novo!!! A partir de agora o “eu não consigo”, está proibido, está bem? Vamos trocar por, “eu vou tentar até conseguir” e tenho certeza que você vai dançar bem melhor e mais leve!

No caso da Misty, foi essa técnica da visualização, além, é claro, de todo o acompanhamento médico que ela teve, bem como os exercícios que ela fazia, que a ajudaram a se recuperar e voltar a dançar depois que teve uma fratura por estresse e precisou colocar platina na perna! Tenha fé e acredite que você vai conseguir!

4.Faça um diário pessoal com seus sentimentos e pensamentos

Essa é mais uma dica que a Misty dá no seu livro “Ballerina Body”. Segundo ela, você deve ter um espacinho para escrever todas as suas emoções e pensamentos. Esse espaço, que pode ser um caderninho, por exemplo, será o seu refúgio, só seu e de mais ninguém. Escreva nele somente isso. Não o use para mais nada. Escolha um cantinho seu que se sinta a vontade e escreva.

Quando você estiver pronto(a) comece a escrever o início desse diário – como você está hoje, como você se sente e como você quer estar ao final desse diário – junto com todas as razões pelas quais você está embarcando nessa busca pelos seus objetivos.

Aconteceu alguma coisa que te chateou hoje? Não conseguiu girar aquela pirueta no ensaio? Escreva no seu diário como isso aconteceu e como se sente em relação a isso. Não tenha vergonha e apenas escreva. Não é para ninguém ler, só você mesmo! Isso vai te dar mais conhecimento sobre você mesmo e fará com que se sinta mais aliviado quando o fizer! O mais legal é que você poderá rever daqui a alguns anos, visualizando melhor a sua evolução pessoal.

5.Tenha paciência – respeite seu tempo e seu corpo

Nós, bailarinos, somos ansiosos para alcançar objetivos e nos frustramos quando isso não acontece, porque temos que lidar com algumas situações que nos exigem imediatismo, como uma apresentação ou festival importante.

Mas também é importante lembrar que não precisamos alcançar o que estamos procurando em um grande salto. Isso é opressor e irreal. Em vez disso, podemos avançar na direção do nosso objetivo final em um passinho de cada vez. Lembre-se de que cada pequena conquista é sim uma grande vitória!!! Ainda mais no ballet que requer MUITO treino para chegar onde se quer!!!

Não vale nos arriscar e arriscar nosso próprio corpo e nossa saúde para alcançar as metas do ballet acima de tudo! Lembre-se de que sem o corpo são, sem a mente sã, sem saúde, não vamos conseguir nem dançar bem!

Queira sim correr atrás dos seus objetivos, não desista deles! Mas não se esqueça acima de tudo, de respeitar você mesmo(a) e o seu corpo – afinal ele é seu instrumento de trabalho e sem ele você não dança! Saiba que cada um tem suas facilidades e dificuldades, e que cada um tem seu tempo! Saiba ter paciência, mas também não fique esperando que caia do céu!

6.Durma bem e se alimente bem – um corpo cansado e sem energia não dança bem e não se motiva.

A alimentação e o sono são duas fontes de energia para qualquer ser humano. Que dirá para o bailarino que se movimenta tanto, que tem o corpo tão exigido, não é? E isso não é novidade para ninguém!

Então procure dormir bem e se alimentar bem! Com “bem”, quero dizer QUALIDADE e NÃO QUANTIDADE! E isso você vai saber se conhecendo!

Mas de uma maneira geral, procure comer alimentos que você sabe que vão ter fazer bem e evite ao máximo os que não vão fazer. Porque são dos alimentos que você vai tirar forças e energia para dançar. É o que muitas avós dizem por aí: “saco vazio não para em pé”! Então, lembro vocês que não se trata só da forma física que o ballet nos exige naturalmente, mas também da saúde. Os corpos de bailarinos podem até ser magros, mas isso porque comem alimentos saudáveis que dão a verdadeira energia de que precisam para dançar! Se não, não há quem aguente horas de ballet por dia!

O mesmo vale quando comemos alimentos que não são saudáveis como as frituras, por exemplo. Você pode até sentir um prazer na hora que você come, mas o seu corpo vai ter uma fonte de energia ruim – ou vai pesar no seu sistema digestivo – e vai te fazer dançar mal. Um corpo sem energia não dança!

Quanto ao sono, você deve saber a quantidade ideal que te de um sono de boa qualidade. Sabe-se que um ser humano dorme em média 8 horas por dia, mas isso pode variar de pessoa para pessoa. E isso pode afetar a nossa energia, tanto quando dormimos de menos quanto quando dormimos em excesso! Das duas maneiras vamos nos sentir cansados. E um corpo cansado consegue dançar? Não, né? Imagina se manter motivado!

7.Se possível, se afaste de quem é muito negativo

Você já parou pra pensar no que acontece quando você convive por um tempo com pessoas negativas? O quanto a gente se sente esgotado com esse tipo de pessoa? É porque normalmente essas pessoas gastam nosso tempo e nossa energia.

Se você tem aquele amigo negativo, que só te põe pra baixo, que vive reclamando da vida, se possivel, se afaste dele! Ou, não sendo possivel, evite ao máximo o contato!

Pode parecer grosseiro ou mal educado! Mas já tem tanta coisa pra ocupar o nosso tempo e que nos desgasta, não precisamos de mais não é?

Se você conviver muito com amigos assim, além de consumir muito o seu tempo e a sua energia, você pode acabar, pelo simples convívio, se tornar alguém assim também e dificilmente conseguirá alcançar seus sonhos e correr atrás deles ou ainda continuar acreditando neles.

Como se manter motivado se você vive cercado de gente que acha que ele ou você nunca vai conseguir nada? Fica difícil assim!

 

Eu sou a Juliana Xavier, aluna da Petite há 12 anos e essas foram as dicas para motivação no ballet e até mesmo na vida. E aí? Você faz alguma delas? O que você faz para se manter motivado nas aulas de dança?

Por: Juliana Xavier

 



A Petite Danse quer enviar conteúdos exclusivos para você!

Entre na nossa lista de e-mail e comece a receber agora mesmo conteúdos feitos para Professores, Alunos e Donos de Escolas.

Sucesso! Enviamos um e-mail para você, verifique seu SPAM