fbpx

Tudo sobre o Plié – O passo mais importante do ballet

Plié, primeiramente, significa “dobrado”, que no ballet, indica que é um movimento de dobra dos dois joelhos. Se for dobra de apenas um dos joelhos, isto denomina-se fondu e não plié.

Os pliés aquecem os músculos e as articulações das pernas, já exercícios seguintes. Eles ajudam a estabelecer um posicionamento correto e são a base de toda pirueta, de todo que esses músculos cruciais controlam o en dehors. O plié estica e descontrai os músculos das pernas, tornando-os elásticos e preparando-os para os salto e de toda terminação desses passos de forma segura. Também pode ser de grande efeito e importantíssimo para o brilhantismo das variações masculinas.

Os pliés, junto com os battement tendus são a base dos movimentos para a prática da dança, seja ela qual for. Começamos a barra com esses exercícios, mas isso não quer dizer que eles sejam fáceis. Além de também ser dado no centro.

O demi-plié é o movimento mais difícil de ser executado perfeitamente, tanto pelos alunos, quanto por grande parte dos profissionais. Alguns alunos inexperientes não dão a devida importância ao plié, considerando-o um passo bobo e “de principiante”, o que é um verdadeiro engano, pois é com ele que se inicia o estudo do ballet. Além disso, pliés mal feitos podem afetar seriamente a cartilagem dos joelhos e estragar a carreira de uma bailarina. Pois eles devem ser executados de forma que os joelhos estejam na direção dos dedos; o pé não pode passar o joelho. Deve ainda ser feito de forma que se tenha a sensação de um elástico: a parte das pernas empurra o chão e a parte do tronco vai para cima, e de uma forma que o movimento seja sempre contínuo, e não de maneira brusca.

Os pliés são o princípio básico da técnica perfeita e bonita da dança e são o segredo dos grandes bailarinos. Os grandes bailarinos que evoluíram artisticamente nos detalhes de acabamento técnico têm como segredo básico o demi-lié, que é para eles um movimento natural. Nestes bailarinos a fluidez e ligação dos movimentos se fundem com a atmosfera do ballet. Eles vivem o momento artístico, através dos passos transmitindo-os ao público.

Demi-pliés

Demi-plié significa meia flexão das pernas. Cada vez que o joelho dobra, ele deve dobrar até o fundo, isto é, o máximo possível, fazendo-se força no músculo das coxas para não deixar o joelho cair para a frente, forçando-se ao máximo o tendão e mantendo o calcanhar totalmente no chão e a postura bem encaixada, de forma que, ao executar o demi-plié, o glúteo não vai para trás e sim para baixo.

Os demi-pliés na barra são executados em todas as posições, mas para iniciantes só se deve executar nas 1ª, 2ª e 3ª posições.

Grand-pliés

Grand-plié significa grande flexão das pernas. É uma flexão total das pernas, que se obtém dobrando-se a fundo os joelhos, o que na maioria dos casos obriga a tirar os calcanhares do chão, ficando o pé na meia ponta, exceto na 2ª posição.

O grand-plié começa com um demi-plié e é, como este, da maior importância para o trabalho de virar as pernas en dehors, a partir dos quadris e interior das coxas, pois com os dois pés no chão e o peso do corpo bem distribuído entre as duas pernas, este trabalho é mais facilmente conseguido do que com uma das pernas fora do chão.

O grand plié também aumenta a força das pernas, pois para se executar corretamente o grand-plié é necessário descer e subir com a força das coxas e nunca com a do corpo, que deve permanecer reto, ou das costas, que devem estar bem presas e bem colocadas.

O grand-plié, assim como o demi-plié, ajuda a distribuir o peso do corpo e possibilita o sentir desse peso. Deve-se cuidar muito para que os joelhos dobrem sempre na direção das pontas dos pés, forçando a abertura da parte interna das coxas, apertando-se o glúteo e mantendo-se o corpo e as costas retas.

O grand-plié também não deve ser feito de maneira brusca. Ele deve ser feito de forma contínua, evitando parar o movimento em baixo (“sentar”) para depois subir. Para os iniciantes, só deve ser dado na 1ª, 2ª e 3ª. Para os mais adiantados, dá-se também em 4ª e em 5ª, que irá substituir a 3ª.

Então, após tudo isso, se você ainda tem dificuldades no ballet, observe o seu plié, dê a atenção que ele merece e nunca mais ache que ele é um passo bobo, que pode ser deixado para lá.



A Petite Danse quer enviar conteúdos exclusivos para você!

Entre na nossa lista de e-mail e comece a receber agora mesmo conteúdos feitos para Professores, Alunos e Donos de Escolas.

Sucesso! Enviamos um e-mail para você, verifique seu SPAM