Por que não colocar meu filho no Ballet?

Em comemoração ao mês das Mães, convidamos uma de nossas alunas de ballet adulto que agora também é mãe de aluno

Nossa aluna Flavianne Baptista trouxe seu filho Lucas para fazer aulas de aqui na Petite e, além de vê-lo se apaixonar pela dança, ela pode se conectar ainda mais com o filho do seu aprendizado, seus movimentos, dos ensaios e aulas. Conheça a história um pouco mais essa história.

A dança sempre fez parte da vida da Flavianne e, por ela ter começado aos 5 anos, sempre esteve atenta se o seu filho, Lucas, também demonstraria interesse em dançar. Para fazê-lo conhecer este mundo, Flavi o colocou nas aulas de Street Dance e diz que o Ballet veio depois naturalmente.

Por crescer dançando, Flavi sempre soube que a dança geraria diversos benefícios para a mente e corpo de seu filho, assim como foi algo benéfico para ela. “Toda criança deve fazer uma atividade para mexer o corpo. O ballet, além de mexer o corpo, mexe a cabeça e ensina as crianças sobre arte, mas também disciplina, respeito, trabalho colaborativo”, diz ela.

Eu notei um salto de desenvolvimento psicológico no Lucas. Vejo uma criança mais confiante, falante e feliz.

– Flavianne

A dança também é um ótimo meio para os pais se conectarem com os filhos. Flavi acredita que por ser um interesse em comum, isso cria reconhecimento e conexão entre eles. “Lucas me procura após cada aula quando aprende um passo novo, tira dúvidas em casa, me acompanha nas minhas aulas. Vai além da relação mãe e filho, na dança somos iguais”, conta Flavi. 

Nossa aluna também disse que o que ela mais ama é vê-lo se encontrando na dança. “Não tem nada melhor do que vê-lo se apaixonando pela arte, crescendo a cada dia, se realizando e até mesmo se frustrando; porque a frustração ensina a ir adiante, a se reinventar”, explica.

Por fim, Flavi deixa uma dica para outras mães de bailarinos que é: aproveite o caminho! “Às vezes projetamos nossas expectativas nos filhos e podemos acabar colocando uma pressão neles quando eles esperam apoio de nós. Eu prefiro pensar que, seja qual for o caminho que Lucas escolher, ele irá levar os ensinamentos do ballet. Se ele seguir a dança, ficarei muito feliz. Se não, independente do caminho que ele trilhar, ele sempre terá uma mãe muito orgulhosa”, diz Flavi.

Um último conselho de Flavi é que toda mãe deveria se matricular junto com o(a) seu(sua) filho(a) numa aula de dança. Então aproveite e agende uma aula experimental em uma de nossas unidades pelo WhatsApp e venha ter uma incrível aventura com o seu filho no mundo da dança! Para acessar nossa grade de horários completa, clique aqui!

Assista a entrevista da Flavianne com o Lucas para o nosso canal do Youtube e descubra como o bailarino está se sentindo fazendo as aulas:
WhatsApp
Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.