fbpx

Mentiras que contam pelo mundo da dança

E a gente desmascara agora pra você!

Quem nunca caiu em uma mentirinha de 1o de Abril que atire a primeira pedra! No mundo a dança, mesmo não sendo o Dia da mentira, a gente costuma ouvir umas coisas por aí que chegam a dar arrepio! Vamos a algumas delas:

 

“É coisa de menina”

Muitas pessoas pensam que a dança é uma atividade apenas para meninas mas, na verdade, quando o ballet foi criado, a intenção era que apenas homens dançassem. Até 1680, o ballet era coisa de homem e não de mulher! Hoje em dia existem diversos bailarinos fazendo história pelas companhias de dança, em solos ou pas de deux, mas dentro das escolas, os homens ainda são minoria. Clique aqui para saber mais sobre os homens no ballet clássico.

Além do ballet, os meninos podem fazer sapateado, contemporâneo e street dance. Aliás, podem fazer o que quiserem né? A dança é para todos!

“Precisa ter o corpo ideal”

O corpo ideal é o seu, no qual você se sente bem e mantém uma vida saudável. No mundo da dança, especialmente na área de profissionalização dentro das companhias, ainda há um conceito de físico perfeito para ser um bailarino de alta performance, mas dentro das escolas de dança, não há regras sobre peso ou altura. O que realmente importa no mundo da dança é a expressão de sentimentos, ideias, conceitos e, claro, se sentir bem fazendo o que gosta.

“Nunca vou conseguir fazer isso”

Já ouviu a frase “a prática leva à perfeição”? A dança funciona exatamente assim. No início você pode achar que não consegue fazer um passo ou uma sequência, por ser uma novidade para você. Mas quanto mais você for às aulas, alongar o corpo e se dedicar, mais você estará pronto para fazer aquilo que achava impossível.

“Não tenho mais idade para dançar”

Muitas pessoas questionam se há um limite de idade na dança, mas a boa notícia é: ele não existe. Aqui na Petite, trabalhamos com crianças a partir de 2 anos, nas turmas de ballet e, por outro lado, oferecemos turmas para adultos de todas as idades que desejam dançar. Ou seja, o que importa não é a idade e sim a paixão pela dança.

Se você quer entender melhor sobre qual a melhor idade para iniciar o ballet, confira esse post aqui.

“Só posso trabalhar com dança sendo um bailarino”

Além de ser um bailarino profissional, as outras opções do mercado de trabalho do mundo da dança são muitas: coreógrafo, professor, diretor artístico, figurinista, fotógrafo, pesquisador e, o que vem crescendo nos últimos anos, produtor e editor de vídeos. Muitas possibilidades esperando por você!

 

Se um dia você já ouviu alguma dessas mentiras, esqueça tudo isso e aproveite para ser feliz dançando e agendar uma aula experimental em uma de nossas unidades. Clique aqui para ver nossa grade de horários e escolha sua modalidade.

 

Telefones das unidades:

Itanhangá – (21) 99696-3921

Metropolitano – (21) 998020-574

Tijuca – (21) 99679-4923

Vogue Square – (21) 98281-0617