8 dicas para se tornar um bailarino profissional

A orientação de carreira é um dos diferenciais da Petite Danse. Sempre buscando ajudar seus alunos que desejam se profissionalizar indicando quais os melhores caminhos a se tomar. E se você também tem esse sonho de dançar em grandes palcos por todo o mundo, confira essas 8 dicas para se tornar um bailarino profissional.

8 dicas para se tornar um bailarino profissional

Fonte: Petite Danse.

1. Escolher uma boa escola de dança: não é incomum que os bailarinos profissionais comecem a dançar desde muito cedo. Se o seu filho ou filha demonstram esse desejo de dançar, o ideal é que essa criança dê seus primeiros passos numa boa escola de dança. Pesquise, visite escolas, peça para assistir a uma aula e converse com a direção sobre esse desejo de sua filha se profissionalizar.

Para quem já está no ramo, é fácil diferenciar uma escola de dança boa das outras. Se você não tem essa experiência, comece observando o tempo que a instituição está no mercado, se sua estrutura é boa e adequada às atividades propostas, se os profissionais têm formação em dança e quanto tempo atuam na área.

Procure saber quantos bailarinos estão estudando nesta escola, quantos já se formaram e onde essas pessoas estão atuando. É possível saber se uma escola é boa a partir dos profissionais que ela coloca no mercado e o sucesso que eles obtêm. Boas escolas de dança costumam ter alunos estudando e ensinando por todo o mundo e eles geralmente se orgulham de dizer de onde vieram.

Vale lembrar que começar cedo para um bailarino é fundamental. Enquanto que em outras profissões começamos a pensar na profissionalização apenas quando chegamos à idade adulta, para formar um bailarino completo essa dedicação precisa começar cedo, por volta de 9 ou 10 anos.

Ballet clássico

Fonte: Petite Danse.

2. Ter um bom físico e trabalhar para melhorá-lo: há quem pense que, para ser um bom bailarino, basta ser magro. Mas isso não é verdade. Quando o indivíduo já apresenta uma boa flexibilidade e ritmo, fica muito mais fácil se dedicar ao ballet e aperfeiçoá-lo. É claro que isso também pode ser desenvolvido com aulas e prática, mas apresentar uma certa facilidade ajuda bastante.

3. Amar o que faz: ter prazer no trabalho é fundamental para obter sucesso. Se dedicar a uma atividade por obrigação costuma ser algo problemático e que pode afastar a pessoa da dança ao invés de aproximá-la. Por isso, além de boa forma, força de vontade e dedicação, uma boa dose de amor pela dança faz com que seja mais fácil tornar-se um bailarino profissional.

4. Desenvolver experiência de palco: estar no palco desde cedo é de extrema importância para qualquer dançarino, pois esta é mais uma forma de praticar. Quanto mais cedo a criança começar a se apresentar em público, mais cedo ela perderá a inibição, além de estar sempre assistindo a apresentações e aprendendo mais.

Competir com outras pessoas também é importante na medida que isso é mais uma troca de experiência do que uma competição propriamente dita. É importante lembrar sempre que a colocação de qualquer pessoa numa competição é consequência do trabalho que ela própria desenvolve e também da estrutura que há por trás dela.

Ballet profissional

Fonte: Petite Danse.

5. Ter disciplina e determinação: estes são fatores fundamentais para quem deseja se tornar um bailarino profissional. Ser muito esforçado sempre ajuda a alcançar grandes objetivos e no ballet isso não é diferente. Nem sempre a pessoa com o físico mais bem preparado ou que demonstra mais talento acaba se profissionalizando.

Muitas vezes, são as pessoas mais determinadas e disciplinadas que chegam mais longe, pois elas precisam se esforçar ainda mais. E, depois de tanta dedicação, dificilmente alguém irá desistir de chegar o mais longe possível.

6. Apoio familiar: não é incomum que uma criança desista de dançar devido à pressão familiar. Ficar comparando o que seu filho faz com outras crianças nunca é uma boa atitude. O pequeno pode acabar se sentindo muito pressionado, o que nunca é bom, pois acaba transformando algo que deveria ser divertido numa obrigação.

Chegar a maturidade, seja na vida ou na dança, é algo variável para cada pessoa. Sendo assim, cada um precisa de seu tempo sem ser pressionado. Uma criança que se sente pressionada, por mais que queira dançar, pode começar a ter muito medo de falhar.

Dicas para ser um bailarino profissional

Fonte: Petite Danse.

7. Fazer aulas todos os dias com trabalhos específicos: quem deseja se profissionalizar na dança precisa sim praticar todos os dias, ao menos uma hora e meia por dia, com horários reservados para ensaios e outros para exercícios específicos. A variedade de ritmos (ballet, dança contemporânea, sapateado, etc.) também costuma ajudar na profissionalização do bailarino e enriquece o currículo.

Uma pessoa que deseja se profissionalizar como bailarino chega a passar de 4 a 6 horas diárias na escola de dança. Isso ocorre porque, além da necessidade para horários de ensaios, o bailarino precisará de aulas de exercício, alcançar a perfeição de um movimento, trabalhar numa determinada coreografia, entre outros fatores. Mas é algo que vale muito pena.

8. Assistir a espetáculos de dança e teatro: dedicar um tempo à cultura é muito importante para todos, principalmente para quem deseja se tornar um bailarino profissional. A criança precisa ter contato desde cedo com a dança, a música, o teatro e várias outras expressões culturais para que ela entenda o que é arte e levar este conhecimento para suas performances.

O trabalho de formação de bailarinos é algo muito específico e não é desenvolvido em qualquer escola de dança. Além disso, ter o suporte da família é fundamental. Por isso, se você (ou seu filho) deseja ser um bailarino profissional, aproveite essas dicas para se tornar um bailarino profissional e conheça a Petite Danse, que desenvolve um belíssimo trabalho de formação de bailarinos desde 1988!

WhatsApp
Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.