Dicas importantes para a primeira aula de ponta

Usar sapatilha de ponta é algo muito comum entre as bailarinas profissionais. Porém, quem começa a praticar, costuma usar uma sapatilha simples e, conforme sua evolução, troca para a de ponta. Se esse é o seu caso (ou se você tem curiosidade sobre o assunto) confira dicas importantes para a primeira aula de ponta:

Dicas importantes para a primeira aula de ponta

Fonte: Petite Danse.

1. Compre uma sapatilha adequada: ao comprar uma sapatilha de ponta, observe se ela cabe perfeitamente no seu pé. Há pessoas que pensam que a sapatilha deve ser um pouco menor ou mesmo maior, mas isso é um erro que pode causar consequências na hora de dançar. Afinal, um par de sapatilhas pequenas irá, obviamente, machucar bastante os pés.

Ponta no ballet

Fonte: Petite Danse.

Por outro lado, uma sapatilha grande fica muito solta e tende a sair do pé. E exatamente por não acomodar corretamente o pé, é provável que a bailarina tenha problemas em aplicar força para dobrar a sola e executar os exercícios. Além disso, uma sapatilha que fica solta no pé pode levar a desequilíbrios e quedas.

Na hora de comprar uma sapatilha, o ideal é estar usando uma meia calça e também levar as ponteiras que serão utilizadas durante aulas e apresentações. Isso faz com que seja possível sentir como será o encaixe das sapatilhas nos pés.

2. Fitas e elástico: para dar mais firmeza e manter as sapatilhas nos pés durante toda aula e apresentações, é comum costurar nela um elástico e fitas. Mas também é importante saber o local correto em que eles serão costurados. As fitas, por exemplo, devem ser costuradas no final da dobra do calcanhar das sapatilhas.

Aula de ballet clássico

Fonte: Petite Danse.

Basta dobrar o calcanhar da sapatilha para encontrar o local correto. A costura deve ser quadrada, para aumentar a fixação da fita e ela não se soltar devido ao uso. Vale lembrar que a fita deve ser fixada no forro da sapatilha, com cuidado para não passar para o lado de fora e danificar o cetim. E não se esqueça de dar um acabamento nas pontas das fitas, pois elas tendem a desfiar.

Já o elástico deve ser costurado na lateral da costura do calcanhar, também pelo lado de dentro da sapatilha e com uma costura quadrada. E vale ressaltar que a própria sapatilha já vem com um elástico no decote, que também deve ser ajustado. Com a sapatilha calçada, puxe o elástico até ela ficar justa, porém confortável. Dê um nó e corte o excesso do elástico para ele não atrapalhar.

Ballet clássico

Fonte: Petite Danse.

3. Unhas em dia: as unhas dos pés devem ser sempre mantidas aparadas bem próximas aos dedos. Não se deve fazer aulas de ponta com as unhas grandes e nem cortá-las muito pequenas para não ferir o dedo. Além disso, é importante cortas as unhas e lixá-las respeitando seu formato para evitar machucados ou problemas de unhas encravadas.

Por mais bonito que seja fazer as unhas do pé na pedicure, o ato de retirar as cutículas pode prejudicar a bailarina, pois qualquer buraquinho é uma porta de entrada para bactérias. O ideal é não mexer no local e buscar pela ajuda de um podólogo.

Como se preparar para a sapatilha de ponta

Fonte: Petite Danse.

4. Limpeza é fundamental: depois da aula, as sapatilhas e ponteiras deve sempre ser arejadas, pois o suor que escorre para dentro do calçado leva a proliferação de fungos e bactérias que causam um odor muito ruim. Quando aula ou ensaio acabarem, o ideal é ter uma sacolinha de pano para guardar as sapatilhas e levar para casa. E, assim que chegar em casa, deixe-as tomando um ar.

As ponteiras também precisam de cuidados, pois têm tendência de grudar, uma vez que são de silicone e não absorvem o suor do pé. Elas podem ser colocadas em algum tipo de pó fino, como talco, farinha ou mesmo maisena, pois isso ajuda a absorver a umidade mantendo-as limpas e sem cheiro, além de prolongar sua vida útil.

5. Durante a primeira aula: na primeira aula de ponta é preciso ter a preocupação de amaciar bem os sapatos para que a bailarina consiga realizar a meia ponta. Como é algo novo, o natural é trabalhar muito junto às barras para que a bailarina possa se acostumar com a sapatilha e realizar os exercícios corretamente.

Com o tempo, torna-se mais fácil usar a sapatilha de ponta, pois a postura da bailarina se adapta ao calçado. Dessa forma, as barras vão ficando para trás, pois há um controle maior do uso da sapatilha, assim como do próprio corpo. A sapatilha de ponta torna-se praticamente uma extensão do corpo da bailarina, sem a qual ela não tem como executar determinados exercícios.

Para ver um vídeo com dicas, veja: https://www.youtube.com/watch?v=qPsb_7oXubk

Se quiser saber mais, siga o canal da Petite Danse no YouTube: https://www.youtube.com/channel/UC05I1OzVdGh05RGxZ5sMRZQ

WhatsApp
Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.