A Dança na Educação Infantil

A Dança na Educação Infantil (Por Nelma Darzi)

Dançar é bom em qualquer idade, mas quando se fala em criança, os cuidados devem ser redobrados.

Segundo o filósofo francês Roger Garaudy, aprender a dançar é tão importante para uma criança quanto aprender geografia ou matemática. Essa avaliação destaca a importância da dança para o desenvolvimento motor infantil, mas os pais devem ter a preocupação com os primeiros passos: escolher uma escola especializada, com profissionais formados e especializados para o trabalho com a educação infantil. O espaço físico também é muito importante, as salas de aula devem ser arejadas e o piso apropriado, proporcionando um ambiente adequado à exploração de diferentes movimentos.

Os educadores devem criar e aplicar aulas lúdicas que motivem a participação dos alunos, utilizando material didático apropriado à formação psicomotora. Esses materiais ajudam a manter o interesse pela atividade além de ser um facilitador para execução dos movimentos. A dinâmica e criatividade no planejamento pedagógico vão contribuir bastante para a participação ativa dos pequenos futuros bailarinos. Jogos teatrais permitem que as crianças desenvolvam a linguagem corporal com mais facilidade. A escola especializada para o ensino da dança deve ter também a autorização do Conselhos Estadual de Educação, instituição educacional que possibilita, no futuro, a emissão de diploma para o curso técnico de formação profissional de bailarinos.

As aulas devem ser lúdicas até os sete anos de idade, trabalhando as valências físicas e psicomotoras da criança, para futuramente ingressar no conteúdo técnico da dança. A partir daí, o aprendizado poderá estar voltado para iniciação da técnica clássica ou para outra modalidade de dança que a criança opte em praticar.

A prática da dança proporciona diversos benefícios à saúde do corpo como: coordenação motora, boa postura, musicalidade, equilíbrio, noção de espaço, consciência corporal, alongamento, disciplina, socialização, aumento da auto- estima e confiança. As crianças na faixa etária de 3 a 6 anos devem participar das aulas descalças e com vestimenta apropriada que possibilite a liberdade de movimento.

CUIDADOS ESPECIAIS

A mãe da futura bailarina deve se preparar para conter a ansiedade, que muitas vezes acaba prejudicando o interesse da criança. Muitas mães depositam nas filhas um desejo ou sonho que foi seu na juventude e que por algum motivo não foi concretizado. “Eu queria tanto ser bailarina, mas meus pais não deixaram”, ou eu quis tanto ser bailarina, mas me casei e…

São tantas histórias e sonhos perdidos pelo caminho, que muitas vezes, os pais acabam passando suas frustrações e prejudicando a formação de seus filhos.

É importante lembrar que a dança não faz distinção de gênero, idade, raça ou classe social. Pessoas de todas as idades podem frequentar uma escola de dança sem medo de ser feliz.

O corpo, com certeza, agradece.

WhatsApp
Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.