Como distribuir as coreografias para o espetáculo?

A nossa professora Raissa Bastos explicou como é importante dividir as turmas de acordo com o nível técnico ensinado ao longo do ano letivo

Os espetáculos de final de ano são criados pelas escolas de dança para proporcionarem aos seus alunos a chance de apresentarem tudo o que aprenderam naquele ano. Aqui na Petite amamos cada momento do evento, por isso, iremos compartilhar como nós criamos. Já falamos sobre a primeira etapa, então vamos falar sobre o segundo passo do processo de criação de um espetáculo: a distribuição das turmas!

A nossa diretora artística, Nelma Darzi, já contou em outro post do blog como é feito o processo de criação de espetáculos aqui na Petite e você pode conferir clicando aqui. Após escolher o tema do espetáculo, desenvolver o roteiro e fazer um planejamento de custo, que é a primeira etapa do processo, chega a hora de começar a distribuir as turmas trabalhando na divisão de coreografias de cada uma.

O segundo passo para criar um espetáculo de dança é distribuir as turmas e as coreografias pensando nos níveis de técnica e número de alunos de cada turma.

Nossa professora de jazz, Raissa Bastos, explica que para dividir as turmas e coreografias do espetáculo primeiro é necessário listar todas as turmas, seus níveis, unidades e número de alunos. Depois, a organização do espetáculo junta as turmas de acordo com o número de alunos e níveis similares, ficando atenta também para a unidade que vai receber os ensaios.

Raissa também conta como é importante dividir as turmas de acordo com o nível técnico, pois dessa forma os alunos se sentem seguros para dançar com outros alunos que estão passando pelo mesmo processo de desenvolvimento. “Sabem que vão subir no palco com uma coreografia elaborada especialmente para eles dançarem com todas as habilidades técnicas e artísticas adquiridas durante o ano”, completa Raissa.

Além disso, é comum vermos nas grandes apresentações das escolas mais de uma turma dançando junta no palco. Raissa conta que uma coreografia de grupo ganha muito mais efeito e força quando tem muitos bailarinos. “Um palco cheio de bailarinos animados com uma linda coreografia carrega muita energia e emoção”, afirma Raissa.

Depois de distribuir as turmas e suas coreografias, você poderá seguir para o próximo passo que é montar a trilha sonora do espetáculo.

WhatsApp
Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.