Bailarinas que mudaram o rumo da dança

Conheça quatro mulheres que fizeram grandes transformações no ballet

O ballet que conhecemos hoje é muito diferente do que se iniciou há 500 anos, na Itália, graças às bailarinas que fizeram grandes mudanças no mundo da dança. E, para celebrar o Dia Internacional das Mulheres, nada melhor do que conhecermos algumas delas.

Mademoiselle De La Fontaine

Até os anos 1680, apenas os homens dançavam ballet clássico, pois as mulheres participavam socialmente das danças da corte, mas não era considerado apropriado dançarem no palco. E em 1681, houve a estreia da ópera “Le Triomphe de l’amour” de Lully, na qual quatro mulheres lideradas por Mademoiselle De La Fontaine, considerada a primeira bailarina de todos os tempos, se apresentaram pela primeira vez num palco. De La Fontaine foi primeira bailarina em cerca de 18 outras produções na Ópera de Paris entre 1681 e 1693.

Marie-Anne Cupis de Camargo

Foi responsável por muitas mudanças técnicas e de estilos no ballet, como por exemplo: encurtou as saias de ballet para facilitar a execução de passos mais complexos e possibilitar que fossem mais bem apreciados; tirou os saltos dos sapatos de balé, facilitando assim a execução de saltos mais complicados; e estabeleceu a manutenção de uma perna elevada a 90 graus do quadril.

Marie Taglioni

Acredita-se que ela foi a primeira bailarina a usar sapatilhas de pontas, mas não há registros que digam ser um fato verídico. Porém, a partir de sua apresentação em “La Sylphide”, um ballet especialmente criado para ela por seu pai, que usar pontas ficou conhecido como sinônimo de leveza.

Isadora Duncan

Esta bailarina acreditava que sua missão no mundo da dança era criar beleza e educar os mais jovens e, para alcançar o seu objetivo, ela abriu quatro escolas de dança em menos de vinte anos para ensinar a filosofia da arte para jovens mulheres. A primeira escola foi aberta em 1904, em Berlim, na Alemanha.

Se não fosse por essas mulheres, o ballet, provavelmente, seria praticado apenas por homens, não existiriam as sapatilhas de ponta, não haveria escolas para ensinar o valor da arte e muito mais. Por isso, celebre todas as mulheres, não só neste dia tão especial, mas em todos os outros também, pela a força que as mulheres têm de transformar o mundo num lugar melhor ao lutarem por suas paixões e liberdade de expressão.

Conheça também outras bailarinas que fizeram história e são grandes inspirações no mundo da dança!

Feliz Dia Internacional das Mulheres!

WhatsApp
Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.