fbpx

A dança durante a gravidez: importância, benefícios, dicas e muito mais

Tudo o que você precisa saber para não desistir da dança durante a gestação

Que a dança é benéfica para nossa saúde física e mental a gente já sabe, mas você sabia que também é um ótimo exercício para gestantes? Isso mesmo! Praticar dança durante o período de gestação ajuda no desenvolvimento da criança, mas é importante que a mãe tenha cuidado e não exagere nos movimentos.

A dança é uma prática recomendada às gestantes por ser uma atividade de baixo impacto que trabalha o corpo todo e, claro, além de ser uma forma de se exercitar, é um entretenimento para que proporciona mais oxigênio e nutrientes à criança dentro do útero, visto que o fluxo sanguíneo na placenta aumenta de acordo com a prática de exercícios.

A professora de jazz, Raissa Bastos, continuou dançando durante a sua gravidez no último ano e ela nos contou um pouco da sua experiência: “durante a quarentena eu estava grávida e a dança era um momento que eu me conectava com a Olívia. A minha gestação foi muito prazerosa por ter passado por ela dançando, então super recomendo.”

“A dança está aí para ser a nossa terapia nesse momento e o maior benefício é o bem-estar”, conta ela.

Raissa acredita que independente se a gestante já dançava ou não, ela deve manter uma atividade prazerosa durante a gestação. A partir do primeiro trimestre da gravidez acontecem muitas mudanças com o corpo, hormonais e físicas, então quanto mais momentos prazerosos a gestante tiver, melhor. “No meu ponto de vista a dança é algo que une o prazer com uma atividade física”, afirma Raissa.

Além de auxiliar no desenvolvimento do bebê, a dança traz diversos benefícios para a gestante, como: aumento da flexibilidade, ajudando a preparar o corpo para o parto; controle da pressão arterial, queima de calorias mantendo o ganho de peso equilibrado, redução de inchaços e aumento da autoestima. É claro que a respiração, a coordenação motora e a resistência física também melhoram durante as aulas.

Fazer aulas de dança também ajudam na hora do parto devido a exercícios que trabalham os músculos abdominais e pélvicos, por conta do esforço necessário, que pode diminuir a dor e, em alguns casos, o tempo do parto. Mas não se esqueça de ter um acompanhamento médico durante as aulas para ter uma gravidez segura e saber se está apta para o exercício.

A dica que a Raissa dá para as grávidas é: contiunar dançando. “Que ela faça bastante alongamento e que se divirta, tire momentos bons dela com o bebê”, fala a professora.

“É ótimo porque você vai sentindo o bebê dançando junto, isso acontecia muito comigo. Hoje em dia a Olívia gosta de movimento porque ela dançou na barriga o tempo inteiro.”    – Raissa Bastos

Assista o nosso vídeo com a Raissa para conhecer um pouco mais da sua história e ainda fazer um aquecimento com ela: