fbpx

8 Coisas que você precisa saber antes de criar uma coreografia

Sabemos que todo profissional da dança, seja professor, seja bailarino vai ter que se deparar com o trabalho de montar coreografias, mas muitos podem achar que essa tarefa é super difícil e ter bloqueios para criar. Por isso, listamos aqui algumas coisas que você precisa saber antes de coreografar.

1.Criatividade e inspiração não é coisa de gênio!

Se você achar que não consegue coreografar porque você não é criativo, aí é que não vai conseguir mesmo! Todo ser humano é um ser criativo em potencial. A diferença é que uns exercitam mais, outros menos. Então, esteja aberto a tudo ao seu redor, estude e pegue referências! Vá a peças, assista ballets, veja vídeos, porque tudo isso pode te ajudar a montar coreografias INCRÍVEIS! Até mesmo simples atos do seu cotidiano podem te dar ideias fantásticas se você estiver aberto a isso! Por isso, não deixe essas ideias escaparem e anote!

2.Não copie!

Pegar referências não é copiar! Uma coisa é você pegar uma coreografia para se inspirar, outra coisa é copiar o trabalho de outra pessoa. Uma coisa muito comum é pegar trechos de coreografias do youtube e fazer um “recorta e cola”. Além de não ser um trabalho honesto, e você estar tentando levar o crédito nas costas de outra pessoa, sua coreografia pode ficar um conjunto de movimentos sem sentido. A pessoa que criou aquela sequencia pensou uma lógica de movimentos, procure criar você a sua própria!

 3.Saiba para quem você está coreografando.

Seja para um grupo, seja para solo, conheça a pessoa para quem você está criando aquela coreografia. Procure criar sequencias em que equilibre as potencialidades do bailarino. Você pode até tentar desafiar esse bailarino com alguns passos um pouco mais difíceis, mas se você montar uma coreografia que o seu aluno não vai conseguir dançar, você também será responsável por isso! Então, procure fazer um sequencia que todos consigam dançar, respeitando o nível técnico, as qualidades e movimentos que eles consigam fazer! Pois os bailarinos que estão dançando, precisam estar envolvidos com a coreografia! Lembre-se que quem dança, precisa ter prazer, se não, não faz o menor sentido!

4.Conheça minimamente a técnica da modalidade que você está coreografando.

Estude e continue estudando sempre! Para coreografar, não precisa dominar totalmente a técnica, ser o melhor bailarino de todos. Mas você precisa ter um conhecimento básico das possibilidades de movimento que aquela dança permite. Do contrário, como criar sequencias de movimentos, se você não os conhece minimamente?

5.Estude tudo sobre o tema a ser abordado e anote!

Muitas vezes se recebe um tema definido da escola para criar uma coreografia de final de ano, por exemplo, ou há a possibilidade de tema livre. Seja qual for das opções, busque todas as informações sobre aquele tema, pode ser livros, filmes, músicas, e escreva todas as ideias que esse tema te trouxer. Outra ideia é ter conversas sobre o tema com a turma. Isso vai ajudar a ter em mente tudo aquilo que você quer passar e a não fugir do tema abordado. Lembre-se de que uma coreografia não é só o movimento pelo movimento, tente ver qual a mensagem a ser passada, qual o tema a ser abordado.

6.Ouça com a atenção a música escolhida

Escolher uma música para coreografar é uma tarefa muito difícil e muito pessoal. Quando for o caso da coreografia ter música, escute-a para se familiarizar com ela. A música vai servir para guiar o ritmo dos movimentos. Mas, lembre-se também que, mesmo músicas rápidas podem ter movimentos mais lentos, e músicas mais lentas, movimentos rápidos. Se você criar em cima das variações de velocidade, a sua coreografia vai ficar muito mais interessante, criativa e dinâmica.

Quando for o caso de coreografar sem música, você pode criar seu próprio ritmo de movimentos de forma única. A coreografia, para existir, não depende da música.

7.Coreografar não é uma tarefa exigida só do professor, mas muitas vezes pode ser exigida do aluno também!

É claro que na maioria dos casos, o bailarino vai reproduzir apenas os movimentos dados pelo professor no ato da criação da coreografia. Mas muitas companhias, inclusive as de ballet clássico, vão exigir que o bailarino também crie, num processo de cocriação, ou seja, as duas partes, professor e aluno, criando juntos aqueles movimentos!

8.Coreografar, além de exigir estudo, pode ser uma fonte de renda extra

Muitos não sabem, mas só de se criar coreografias, o professor pode ganhar a mais por coreografia, além dos ensaios! Muitas pessoas contratam profissionais única e exclusivamente para o fim de criar coreografias além de grupos ou solos para competir em festivais, eventos corporativos, casamentos e festas de 15 anos. E esse é sim um trabalho relacionado à dança que pode servir como fonte de renda extra.

 

A partir de agora, espero que você tenha em mente que criar coreografias é um processo que é para todos, desde que se estude! Não precisa ser nenhum gênio, mas se você tiver interesse em ter mais ferramentas para isso, não se esqueça de se inscrever no nosso curso de composição coreográfica! As inscrições começam essa segunda-feira e vão até sexta-feira! Portanto, não perca esta oportunidade e se inscreva, clicando aqui!



A Petite Danse quer enviar conteúdos exclusivos para você!

Entre na nossa lista de e-mail e comece a receber agora mesmo conteúdos feitos para Professores, Alunos e Donos de Escolas.

Sucesso! Enviamos um e-mail para você, verifique seu SPAM